Tratamentos

Quimioterapia

Tratamentos / Quimioterapia

Quimioterapia

Um dos pilares no tratamento de Câncer é oferecido pelo CEBROM Medicina Oncológica – a Quimioterapia, um tratamento que consiste na utilização  de substâncias conhecidas como quimioterápicos que destroem as células tumorais, entretanto, podem afetar as células sadias, causando os efeitos colaterais.

A Quimio pode ser considerada:

  1. Curativa que é utilizada para conseguir controle completo de tumor, como nos casos de Doença de Hodgkin, carcinomas, leucemias e outros;
  2. Adjuvante quando é utilizada posteriormente ao tratamento cirúrgico ou radioterápico, com o intuito de eliminar células residuais, diminuindo assim as chances de recidiva ou recorrência;
  3.  Neoadjuvante um tipo que é utilizada antes do tratamento cirúrgico, para a redução do tumor e 
  4. Paliativa usada para conter o avanço e diminuir o volume tumoral, melhorando sintomas e a qualidade de vida do paciente.

Quais os tipos de medicamentos?

• Quimioterapia “convencional” – através de medicações tóxicas que levam a morte celular tumoral.
• Anticorpos monoclonais e Terapia alvo molecular – atingem pontos específicos da célula. Trata-se de um tratamento mais direcionado.
• Imunoterapia – age estimulando o sistema imunológico a combater e destruir as células tumorais.

Aplicação:

Subcutânea; intramuscular; intra-arterial; intraperitoneal, intratecal, oral e intravenosa (periférica) ou central, através do cateter venoso implantável.


quimioterapia estrutura

estamos com
você nessa luta

Aqui você encontra as principais dúvidas em relação
a Quimioterapia fique tranquilo(a) qualquer dúvida conte conosco

Consiste na utilização de substâncias conhecidas como quimioterápicos que destroem as células tumorais, entretanto, podem afetar as células sadias, causando os efeitos colaterais. Ler mais
Consiste na utilização de substâncias conhecidas como quimioterápicos que destroem as células tumorais, entretanto, podem afetar as células sadias, causando os efeitos colaterais.
As recomendações variam de acordo com as características dos tumores, dependendo da sua localização, tamanho a grau de agressividade. O Oncologista clinico é o profissional capaz de indicar o melh... Ler mais
As recomendações variam de acordo com as características dos tumores, dependendo da sua localização, tamanho a grau de agressividade. O Oncologista clinico é o profissional capaz de indicar o melhor momento e tipo de tratamento.
O tratamento é administrado por enfermeiros especializados e auxiliares de enfermagem, podendo ser feito das seguintes maneiras: - Via oral (pela boca): o paciente ingere pela boca o medicamento na fo... Ler mais
O tratamento é administrado por enfermeiros especializados e auxiliares de enfermagem, podendo ser feito das seguintes maneiras: - Via oral (pela boca): o paciente ingere pela boca o medicamento na forma de comprimidos, cápsulas e líquidos. Pode ser feito em casa. - Intravenosa (pela veia): a medicação é aplicada diretamente na veia ou por meio de cateter (um tubo fino colocado na veia), na forma de injeções ou dentro do soro. - Intramuscular (pelo músculo): a medicação é aplicada por meio de injeções no músculo. - Subcutânea (pela pele): a medicação é aplicada por injeções, por baixo da pele. - Intracraneal (pela espinha dorsal): menos freqüente, podendo ser aplicada no líquor (líquido da espinha), pelo próprio médico ou no centro cirúrgico. - Tópico (sobre a pele ou mucosa): o medicamento (líquido ou pomada) é aplicado na região afetada.
São a falta de ar, alterações cardíacas, escurecimento da pele, alterações na sensibilidade (parestesia) e alterações renais. Ler mais
São a falta de ar, alterações cardíacas, escurecimento da pele, alterações na sensibilidade (parestesia) e alterações renais.
São náuseas, vômitos, insônia, fadiga (cansaço), dores nas articulações, agitação, diarreia, alterações de apetite, problemas na pele (ressecamento ou manchas), alopecia (queda de cabelo e pelo... Ler mais
São náuseas, vômitos, insônia, fadiga (cansaço), dores nas articulações, agitação, diarreia, alterações de apetite, problemas na pele (ressecamento ou manchas), alopecia (queda de cabelo e pelos), alterações nas unhas e inflamação nas veias (flebite). Anemia (diminuição dos glóbulos vermelhos), neutropenia (diminuição dos glóbulos brancos), alterações na coagulação/lesões ou feridas na boca e garganta (mucosite).
A duração do tratamento é planejada de acordo com o tipo de tumor e varia em cada caso. Ainda que o paciente não sinta qualquer mal-estar, as aplicações de medicamento não devem ser suspensas. Some... Ler mais
A duração do tratamento é planejada de acordo com o tipo de tumor e varia em cada caso. Ainda que o paciente não sinta qualquer mal-estar, as aplicações de medicamento não devem ser suspensas. Somente o médico indicará o fim do tratamento.
Não. O paciente pode manter as atividades de trabalho normais, devendo comunicar ao médico qualquer reação do tratamento. - Sono: é importante dormir bem e repousar, principalmente após receber a... Ler mais
Não. O paciente pode manter as atividades de trabalho normais, devendo comunicar ao médico qualquer reação do tratamento. - Sono: é importante dormir bem e repousar, principalmente após receber a aplicação. Isso porque um corpo descansado responde melhor ao tratamento e ajuda a reduzir os efeitos desagradáveis que ele pode causar. - Outros medicamentos: o paciente deve informar ao médico se possui outro problema de saúde e se toma outros remédios. - Bebidas alcoólicas: são permitidas, desde que ingeridas em pequenas quantidades. É proibido tomar bebidas alcoólicas poucos dias antes ou poucos dias após receber a aplicação da quimioterapia; e quando o paciente estiver tomando antibióticos, tranqüilizantes ou remédios para dormir. - Queda dos cabelos: caso ocorra, é importante saber que o cabelo voltará a crescer quando acabar o tratamento ou até mesmo antes. Para contornar esse desconforto, podem ser usados bonés, perucas, lenços etc. - Menstruação: as mulheres que menstruam podem apresentar algumas alterações no ciclo menstrual o fluxo de sangue do período pode aumentar, diminuir ou parar completamente. Se isto acontecer, o médico responsável deve ser comunicado. No entanto, após o término do tratamento, o ciclo menstrual retornará ao normal. - Tratamento dentário: só deve ser feito mediante autorização do médico. - Atividades sexuais: a quimioterapia não interfere nem prejudica as relações sexuais, que podem ser mantidas normalmente. Vale ressaltar que a gravidez deve ser evitada durante o tratamento. Por isso, homens e mulheres devem usar preservativo (camisinha) em todas as relações sexuais, e as mulheres também devem usar pílulas anticoncepcionais se o médico prescrever.
Ao fazer a barba, o paciente deve ter cuidado para não se cortar (se possível, usar barbeador elétrico).Nas mãos, evitar retirar cutículas e cuidado ao cortar as unhas. Caso sinta ressecamento da pel... Ler mais
Ao fazer a barba, o paciente deve ter cuidado para não se cortar (se possível, usar barbeador elétrico).Nas mãos, evitar retirar cutículas e cuidado ao cortar as unhas. Caso sinta ressecamento da pele ou descamação, pode passar hidratante que não contenha álcool (como por exemplo óleo de amêndoa, leite de aveia, Proderm). Não usar desodorantes que contenham álcool. Alguns medicamentos, quando administrados fora da veia, podem causar lesões do tipo queimaduras, que, quando não tratadas, podem causar algumas complicações. Podem surgir dores, queimação, inchaço, vermelhidão no braço e outros sintomas, que podem ser sentidos durante a injeção ou algum tempo (até dias) depois. Caso isso aconteça, a equipe médica deve ser avisada. Em casa, o paciente pode tomar algumas medidas: lavar o braço com água e sabão; mergulhar o braço em água gelada durante 20 minutos, várias vezes ao dia, até que desapareça a vermelhidão; manter o braço elevado o maior tempo possível.

Conte conosco
conheça nossa estrutura

Quer receber dicas e informações?
cadastre-se em
nossa newsletter